The Truth's For Sale

Changeling: The Lost – Olhar de Quimera

Posted in RPG, World of Darkness by Carlos Hentges on 29/06/2012

Nono Capítulo da Alienação.

Na tarde de hoje, Eleuthério esteve em meu escritório. Ao que parece, adotou em definitivo o novo nome. Uma menina estava sob seus cuidados: Amanda. Tem cerca de onze anos. Saudável, ainda que um pouco retraída. É mais do que se pode dizer da maioria dos que recém deixaram o Banhado.

A chegada de Eleuthério foi inesperada e também inoportuna. Em minha companhia estava O Antiquado. Expunha seus planos. Ganhavam em grandiloquência na medida em que se acumulava a poeira que dele se desprende sem cessar.

Eleuthério relatou coisas preocupantes. Amanda foi resgatada quando ele buscava seu filho, Claudio. Os dois, de certa maneira, pareciam atrelados ao raptor de Eleuthério. A respeito da entidade, disse algo interessante. “Ele parece não levar ninguém contra vontade e, de fato, jamais se esforçou para impedir qualquer fuga”.

O Antiquado foi bastante rude ao acusar Eleuthério de ingenuidade. Não acredita que os seres além do Banhado façam algo que possa ser reconhecido como bondade, no que concordamos. Mas o guarda-livros, que tanto valoriza o passado, parece ter-se esquecido como é o período logo após o retorno, repleto de erros de avaliação.

A respeito dos planos do Antiquado, eles podem modificar completamente o modo como vivemos. Deseja destruir os caminhos do Banhado que trazem até aqui, à exceção de um. Este seria guardado pela Mascote. Garante ter meios de executar a segunda parte da ideia. Para a primeira, precisa da concordância e auxílio de boa parte de nós.

Tal ideia impediria que mais pessoas fossem levadas, mas também tornaria a locomoção discreta pelos caminhos do Banhado algo impossível. E colocaria nas mãos do Antiquado um poder extraordinário. Ficou evidente que o cão Ótimo Máximo e o Elo Perdido desempenharam papel recente no intento. Ainda há muito a se esclarecer.

Eleuthério acompanhou apenas parte da conversa. Tem preocupações diferentes, ainda que nada ordinárias. Claudio, seu filho,viveu brevemente experiência muito semelhante ao rapto. É justo pensar que o menino tenha sido afetado. O mais provável é ter adquirido a capacidade ver o mundo do mesmo modo que Eleuthério, eu e os outros vemos. Como sua família preencherá as lacunas dessa estranha história é outro ponto a se considerar. Há ainda o Espantalho, que em breve receberá alta do São Pedro e vai juntar-se a este núcleo de perturbações, com resultados imponderáveis.

Concordei com o pedido de tomar conta de Amanda. O fiz para impedir que os fardos que Eleuthério carrega façam dele um problema. Imagino que a partir de agora ele consiga tomar as decisões que o tragam para a sua nova família. Contudo, não vejo dias de harmonia no futuro imediato.

Anúncios

Diários de Guerra I – Juntando Pedaços

Posted in GURPS, O Jogador, RPG by Carlos Hentges on 09/11/2009

Apenas oito de nós sobreviveram ao desembarque. Ninguém fala, mas todos estão felizes por isso. Por serem a metade do pelotão que ultrapassou a praia. Para quem cresceu acreditando em Deus, é difícil aceitar que essa é uma conta justa…

Ninguém aqui me chama pelo nome. John Matrix ficou em Boston. Na Normandia, eu sou O Pastor. Ou O Padre. Os católicos não percebem a diferença. Não acho que tenha muita importância também. Acho que me chamam assim por causa da Bíblia. Eu cito ela de vez em quando. Ajuda a tornar as coisas mais fáceis. Como quando passamos por um campo em que a terra foi toda remexida pelos bombardeios. Me lembrou aquela passagem em que Deus destrói uma cidade inteira, cheia de infiéis.

(more…)

Uma Empreitada Bucaneira – Extras

Posted in GURPS, O Jogador, RPG by Carlos Hentges on 28/05/2009

Epílogo – O relato de Alexander Thorne

Eu via toda aquela madeira boiando e só conseguia pensar no que Thorne diria. Quer dizer, não que eu tenha passado todo o tempo procurando por isso, mas finalmente ele ia ter que engolir. Eu não só tinha participado da maior batalha que os mares do Caribe já viram, contra a maldita Armada Inglesa, como havia salvado duas pessoas, sendo uma delas o meu Capitão.

Tudo bem, não foi uma trajetória sem tropeços. Eu enganei uma porção de pessoas. Matei outro tanto. E me esforcei ao máximo para tornar a vida de Timmy, Edward, ou sabe Deus qual é o nome verdadeiro dele, um inferno permanente. Ah, sim. Eu também conspirei contra o capitão Walker e raramente abri mão de fazer com que ele parecesse um idiota.

(more…)

Tagged with: , ,