The Truth's For Sale

Numenera – PãnPãNãNãNãããnnnn…(ou, A Cavalgada das Valquírias)

Posted in Numenera, RPG by Carlos Hentges on 16/03/2015

Numenera – The Wonder Weird

Capítulo 5 – PãnPãNãNãNãããnnnn…(ou, A Cavalgada das Valquírias)

Verdade seja dita, nem Zippack Ranzz e nem Stephen Dedalus sabiam ao certo como tirar do raster sacrificado os órgãos biomecânicos necessários à reenergização do Fus-K. Por isso, daremos mais tempo aos dois enquanto revemos episódios anteriores, inclusive apresentando o jovem freelancer Dedalus adequadamente e descobrindo o que aconteceu com Mark e Cid, nossos protagonistas originais.

****

Stephen Dedalus vinha de Ishlav a mando de Pais Pretéritos. Estranhos fenômenos recentes no firmamento capturaram sua atenção, levando-o a convencer seus patrocinadores recorrentes de que havia algo que aprender com aquilo. Supunha que seria necessário chegar ao Império de Pytharon, passando pelas terras do Lorde Wernard Streck e pela vila de Itzen, para melhor observar a curiosa movimentação de algumas das luzes do céu noturno. Contudo, havia em seu caminho um soldado de nome Elandra.

****

Mark precisou de toda uma manhã de descanso antes de sentir-se parcialmente refeito dos acontecimentos no subterrâneo de Itzen, e além dele. Finalmente pôde observar a tropa baseada ali: uma dúzia de homens, displicentes e mais interessados em saquear o que restou da vila do que erguer algum tipo organizado de defesa.

Foi no início da tarde que uma patrulha chegou com um prisioneiro. Era Lipke, o traidor. Havia sido maltratado, e desesperava-se feito um homem prestes à condenação. Mark interferiu antes que o rapaz fosse atirado na cratera aberta pela esfera. Sem Kellown por perto, a certificar-se da ausência de chirogs no subterrâneo, os soldados revelaram-se selvagens, e voltaram seu desejo de punição em direção a Mark. Defendendo-se da melhor maneira possível, ao menos evitou a execução de Lipke.

****

Cid encontrou-se com Keza, misturada aos refugiados de Itzen, e disso uma ideia surgiu.

****

“O que você sabe de rasters?”. Lorde Wernard Streck baseava na resposta a essa única pergunta o julgamento a respeito da utilidade de Stephen Dedalus, suspeito de associação com os Pais Pretéritos do Império de Pytharon – a acusação era infundada, além de não fazer o menor sentido. Satisfeito, o Lorde promoveu-o de prisioneiro a colaborador, colocando-o junto de Zippack diante de um raster acorrentado e agonizante, um soldado com um machado enorme e sob os olhos de uma multidão de curiosos.

****

Ele montava um brehm e usava uma armadura que brilhava sob o sol matutino. Vinha lentamente, feito quem desejava ser avistado, mas altivo, como que sabedor de que a possibilidade de um ataque inexistia. Apresentou-se como Kervinig, representante do Capitão Mallard do Império de Pytharon, líder de uma tropa de cinquenta homens prontos a tomar Itzen. Os soldados queriam avançar sobre o inimigo e sua arrogância, mas o comunicado entregue fez com que Kellown os impedisse. Sob o jugo de Mallard estariam pelos menos dez habitantes da vila, Denniewis entre eles. A menos que deixassem Itzen em seis horas, seriam massacrados, primeiro os camponeses, e então os soldados.

****

O raster é uma criatura curiosa quando vista de perto. Suas asas alcançam oito metros de envergadura, e seu corpo não é esguio como o de outros animais voadores, mas forte, quase excessivo. Certamente as quatro patas curtas não são capazes de dar conta dele por mais do que um tempo muito breve. O vermelho sanguíneo de um raster torna fácil de avistá-lo nos céus de Ancuan. Ali, no chão, ele apenas se confundia com o líquido espalhado pelo machado do executor.

Dedalus e Zippack encontraram o que procuravam na cabeça da criatura sacrificada. Os grandes discos prateados nascem e crescem ali, mas são mecânicos e guardam partes cuja energia acumulada serviria para colocar Fus-K mais uma vez na altura das nuvens.

****

Naquela noite, quando Dedalus e Zippack descansavam em uma das inúmeras tendas improvisadas nos arredores da propriedade de Lorde Wernard Streck, Cid finalmente reapareceu. Por baixo de panos, passou com cuidado e uma aura de segredo um misterioso dispositivo. Tratava-se de um tripé metálico, feito para sustentar uma peça do mesmo material. Repleta de botões e símbolos, seu propósito seria apenas descoberto mais tarde. Segundo Cid, e foi a última coisa que disse antes de sumir junto de Keza, se tratava de algo muito útil e de que o Lorde não sentiria falta imediatamente.

****

Kellown não poderia abrir mão de homem nenhum, e Mark tomou para si a tarefa de localizar os invasores. Do alto da colina, era possível observar qualquer tentativa de aproximação. Mas a geografia acidentada da região também permitia que um agrupamento de soldados estivesse postado a menos de um quilômetro de Itzen.

De Lipke veio a suspeita de que a incursão em Ancuan seria mais uma aventura belicista do capitão de uma fortaleza do que a orientação da imperatriz de Pytharon em seu palácio. Isso se confirmou antes do final da tarde, quando Mark avistou os prisioneiros e os soldados do Império, postados em um vale à espera da ordem para avançar.

Estavam a duas horas de caminhada da vila, e não chegavam ao número anunciado por Kervinig, mas ainda superavam em quase três para um os homens em Itzen.

****

Fus-K deu início ao seu voo silencioso no início da manhã. Nele embarcaram Elandra e um soldado de sua confiança, além do aeronauta Zippack e Dedalus, que rapidamente dominara o sistema de energia da aeronave. E Cid.

Três horas depois, pousavam junto dos escombros de Itzen. Os soldados ali postados não inspiravam confiança. A situação narrada por Kellown e as intervenções de Mark apresentaram um cenário sombrio. Naquele momento, tinham menos de duas horas para decidir entre lutar e arriscar as vidas dos aldeões a as suas, ou retirar-se da vila, abandonando os moradores à própria sorte e o orgulho em um ponto tão profundo quando os subterrâneos de Itzen.

Inicialmente relutantes, Zippack e Dedalus resolveram-se por tomar parte no que fosse decidido. Juntos, vasculharam os arredores em busca de pedras pesadas e combustível para explosivos improvisados. Mais tarde, já com a ajuda de ambos, Mark finalmente conseguiu, ao custo de um dossi, discernir o funcionamento do dispersor de energia encontrado nos subterrâneos. Cid, enquanto isso, tentava convencer os soldados da importância de ele estar junto da esfera nesse momento crítico.

****85633854a76aa97fcff2e199e458c92a

Todos os soldados no solo eram necessários, e permitir que os quatro voassem sem supervisão exigiu de Elandra uma enorme dose de confiança.

Elevando o Fus-K ao limite de sua altitude, Zippack fornecia uma visão privilegiada da movimentação do grupo saído de Itzen e também daquele baseado em um vale a quilômetros dali. Imprimindo um mergulho ousado, surpreendeu os homens de Pytharon, pegos de surpresa e, àquela altura, já esquecidos de seus prisioneiros.

O casco da aeronave atropelou meia dúzia de soldados e um pedregulho arremessado por Cid fez outra vítima. Mark incendiou um grupo de homens e Dedalus disparou o dispersor, fazendo a energia ricochetear até encontrar um alvo orgânico e pulverizá-lo.

Manobrando o Fus-K, viram que sua intervenção garantiu a margem necessária para igualar as forças em combate. A um custo muito alto, os homens liderados por Elandra saíram vitoriosos. Considerando sua parte do acordo cumprida, apontaram o Fus-K em direção a Ishlav.

Era o mais longe que poderiam chegar com a energia de que dispunham.

Anúncios

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. R.G. Caetano said, on 23/03/2015 at 17:52

    Tenho a impressão que os jogadores se divertiram bastante nessa sessão, hehe.

  2. Carlos Hentges said, on 24/03/2015 at 11:38

    Foi uma sessão muito boa, a melhor da campanha até aqui. Teve suas dificuldade por eu ter um personagem novo no jogo, o Dedalus (originalmente, Lorde Streck teria aprisionado um dos Pais Pretéritos que estiveram em Itzen) e dois focos narrativos, um na vila, com Mark, e outro com Dedalus e Zippack. Tanto que houve um momento em que o Mark queria sair de Itzen quando os outros dois estavam chegando, e eu o impedi usando uma intervenção (intervenção é quando o mestre afeta a trama diretamente, em prejuízo dos personagens. em troca disso, ele concede dois pontos de experiência).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: