The Truth's For Sale

Changeling: The Lost – Alienados em definitivo

Posted in RPG, World of Darkness by Carlos Hentges on 15/05/2013

Como todo narrador já deve ter experimentado, algumas histórias nunca chegam ao fim. Alienados será uma dessas.

Depois de prelúdio e doze capítulos, eu tenho certeza de que tomei decisões que tornaram o avanço da crônica nebuloso demais para manter o meu próprio interesse nela, especialmente tendo em vista o tempo de dedicação reduzido. Apesar disso, todos os méritos para o Lucas, que fez um excelente trabalho como protagonista solitário de tudo o que criamos juntos até aqui.

Abaixo, algumas anotações. Nem todas elas farão sentido, mas é uma tentativa de preservar um material que, sem publicação, certamente se perderia.

Gracias aos leitores, em especial aos que fizeram comentários ou enviaram mensagens privadas.

—-

Changeling: The Lost – Democracia e outros Monstros

13º Capítulo da Alienação

Finalmente irá acontecer a votação que decidirá o destino dos caminhos do Banhado. Até o momento em que o primeiro voto for pronunciado, nenhum dos presentes terá segurança quanto ao resultado. Antes que os presentes pronunciem sua escolha, os dois postulantes terão a oportunidade de sustentar seus pontos de vista.

O Antiquado faz uma declaração focada no desenvolvimento de uma comunidade na Ruína, algo apenas possível após os caminhos do Banhado serem resguardados. Ele vê o transtorno e a dificuldade de locomoção como um preço pequeno a se pagar. Segundo o Antiquado, o desejo de Juliano Terceiro é o de simplesmente retomar seu poder fazendo uso das vantagens que o Banhado proporciona, não havendo um senso coletivo nele. Ele não revalará os meios que deram acesso ao poder que lhe permitirá controlar a Mascote, mas concorda em posteriormente submeter essa autoridade à votação.

Juliano Terceiro é mais direto. Ele assume que deseja sim retomar o controle do Maria Degolada, e que o Banhado é fundamental nesse aspecto. Contudo, afirma que ao cortar caminhos estarão sendo também cortadas as possibilidades de que outros encontrem o caminho de casa. Votar no que propõe o Antiquado é pensar apenas nas próprias necessidades em detrimento daqueles que não tiveram a sorte de fugir, e isso aproxima todos ali dos carcereiros.

—-

Ao todo, são 14 os presentes, nem todos com direito a voto.

Eleuthério / Estrela / Antiquado / Juliano Terceiro / Dr. Quimera / Otávio Clemente / Elo Perdido / Branca de Neve / Claudio Ribeiro / Amanda / Cosme da Árvore Mais Alta / Lady Jaqueline / Sara, a Flautista / João Gentil /

—-

A participação de Claudio depende da vontade de Eleuthério, já que nenhum dos outros tem acesso a ele. Amanda, por sua vez, será trazida sob a guarda de Adriana. É consenso entre ele que o convívio com os demais é benéfico aos que retornaram, independente de sua idade.

Caso se aproxime da criança, terá meios de descobrir os acontecimentos recentes na residência dos Ribeiro:

– Deise despertou, quando foi transferida para a clínica do Dr. Alberto Iglesias.

– Em uma visita da família, ela teve uma recaída forte (resultado da visão de Claudio filho e neto).

– A situação entre os familiares é bem difícil desde o retorno de Claudio do São Pedro. Ele agrediu o filho em uma ocasião. O menino insiste que aquele não é o pai dele.

Um observador foi convidado pelo Dr. Quimera. Trata-se de um peregrino do Banhado chamado Cerca Viva. Ele costuma transitar pela Sebe enviando notícias e portando objetos que não podem ser levados por vias mundanas. O resultado da eleição será transmitido a outros grupos nas imediações.

Deise desperta e desaparece com o pequeno Claudio. O Espantalho tem sua condição revelada e busca acabar com ambos, pois nenhum dos dois pode amá-lo como ele acredita merecer.

Finalmente ocorre no Teatro do Serafim a votação a respeito do futuro das passagens do Banhado. Apesar do trabalho de Claudio, a maioria decide pela própria segurança em detrimento do que poderão fugir no futuro.

Em meio ao encontro, Eleuthério identifica o responsável pela destruição de uma das trilhas.

Juliano Terceiro rompe com a comunidade após ver sua proposta derrotada.

Um observador de fora da cidade é apresentado ao personagem.

Eventos surpreendentes na Ruína lotada de changelings

O Machado

Uma visita encontrou a placa para o apto.

A Lâmina e o Espelho – O Reflexo dos meus Problemas

Dr. Alberto Iglesias e o despertar de Deise Ribeiro

—-

Eleuthério desperta no Banhado. Viaja em uma gaiola puxada por um animal semelhante a um burro, pouca coisa mais entroncado e com as feições de uma raposa. Um duende de traços encovados o conduz. Foi a música que cantarola que o acordou.

We come from the land of the ice and snow,
From the midnight sun where the hot springs flow.
The hammer of the gods will drive our ships to new lands,
To fight the horde, singing and crying: Valhalla, I am coming!

Alguns itens do Mercado dos Duendes:

  • Uma meia que faz com que o sapato jamais fique sujo (sem par);
  • Uma noz que liberta um vagalume após aberta.
  • Um pincel que pinta apenas em vermelho.
  • Um vinil que toca um samba dos anos 50 na voz do seu dono.
  • Um pedaço de queijo que apenas mofa depois de comido.
  • Um telefone que traduz as chamadas para a linguagem de golfinhos.
  • Um folhetim que muda pequenos detalhes da história a cada leitura.

—-

Dr. Alberto Iglesias é o psiquiatra que vem cuidando de Claudio/Espantalho. Durante todo o tempo em que nenhum parente estiver por perto, Deise Ribeiro é acompanhada por um funcionário de Iglesias, um anotador, ordenado a registrar cada murmúrio da paciente. Junto dos funcionários do hospital é possível descobrir que em mais de uma oportunidade ele buscou transferir a paciente para sua clínica particular, em uma área nobre da cidade.

—-

Lucia tem concentrado suas buscas por Ulisses junto de Vicente Carvalho, no Samaritano. Qualquer suspeita em relação ao quanto Eleuthério conhece do paradeiro de Ulisses provocará uma reação imediata. Caso isso não venha à tona, ela desenvolverá uma afeição especial por ele, o que certamente provocará um rompimento ainda mais doloroso no futuro.

—-

É possível sentir o Glamour se desprendendo de cada uma das notas e tomando forma por meio de velhas melodias. Chamam-se Old Junkies. Eleuthério os conheceu frequentando um velho estúdio perto de casa, no Centro, e tem feito o papel de guitarrista, ao menos para o show de dentro de poucas semanas.

Ao final do ensaio, Fred irá dividir com Eleuthério um pouco de maconha.

Led Zeppelin – Immigrant Song

We come from the land of the ice and snow,
From the midnight sun where the hot springs flow.
The hammer of the gods will drive our ships to new lands,
To fight the horde, singing and crying: Valhalla, I am coming!

Zé das Couves é um mendigo que vê os Changelings como eles são. Foi enfeitiçado muito tempo atrás, como uma brincadeira. Vive dos restos de feiras que ocorrem nos arredores do Centro. Irá abordar Eleuthério no meio da rua. Ele vem sendo perseguido por um Changeling que levou a sério demais a ideia de proteção representada pela destruição das passagens pela Sebe – Autumn Nightmares – 32

—-

O Espantalho está de volta para casa, permanentemente assistido por Luisa. Contudo, além de inseguro a respeito de quais são os planos de Eleuthério para ele, o que o faz agir de modo paranoico e estranho aos olhos da família, o pequeno Claudio pode vê-lo como é de fato, o que cria no menino uma profunda aversão e terror.

Aos seus olhos, a criança passa a ser, da mesma forma que Eleuthério, uma constante fonte de angústia. Algo que precisa ser eliminado…

—-

No Teatro do Serafim, começam os ensaios para a apresentação de Eleutheria, de Samuel Beckett. Caso se interesse, Eleuthério pode ajudar Adriana nos ensaios.

The plot concerns the efforts of a young member of the bourgeoisie, Victor Krap, to cut himself off from society and his family–while at the same time accepting hand-outs from his mother. The title, eleutheria (ελευθερία) is Greek for “liberty”.

—-

O Antiquado defende que sua proposta fortalecerá a Ruína e criará uma comunidade de fato, onde coexistirão todos que desejarem acessar o Banhado. Haverá também mais controle sobre o trânsito de seres estranhos e mais segurança, ainda que ao custo de certa liberdade para todos. A única coisa que lhe falta no momento é encontrar um meio de atrair a Mascote e nela utilizar a coleira que negociou com os Três Duendes.

Tendo identificado Juliano Terceiro como um opositor à proposta do Antiquado, o Dr. Quimera se reservou o papel de marcar mais adiante um encontro para que todos tenha a chance de tomar partido a respeito.

—-

Kkak, Meeknu e Nkik têm seus próprios planos. Foram enganados na negociação com O Antiquado e intuíram parte de seus planos. Pretendem fazer todo o possível para prejudicá-lo.

—-

Desde que foram apresentados, Branca de Neve e o Elo Perdido vivem juntos no Banhado, próximos à Ruína. É uma relação feita da admiração infantil dele e das fantasias ingênuas dela. Ele segue quase incomunicável, mas ela aprendeu a compreendê-lo o bastante para saber que foram suas incursões que mapearam o trânsito da Mascote pelo Banhado. Ótimo Máximo era sua garantia de que não chegaria perto demais da criatura nem seria surpreendido por ela.

—-

Delírios à la Six Feet Under.

Os sonhos envenenados do meu vizinho.

—-

Outros Changelings invejariam Eleuthério pelo seu cativeiro de prazeres? Tentariam entrar em contato com o Elíseo por conta própria? Sabotariam as ações para preservar a Ruína em função disso?

—-

A falta de sono coloca Morféticos nos cantos dos seus olhos.

—-

Estrela

Dr. Procópio Quimera

O Antiquado

Elo Perdido

Cosme da Árvore mais Alta

Juliano Terceiro

A Branca de Neve

Otávio Clemente

A Mascote

Os Três Duendes

Adriana do Teatro do Serafim

O Macaco da Pata

Ulisses

—-

Rumors of a secret relic or token ping the characters’ radar: a heavy, braided leather leash. The leash (which is heavy enough that it probably needs to be carried by two or three people) is out there, somewhere, and it supposedly has magical properties: any beast leashed with the relic becomes pliable and docile to the one who leashes it. This is true for a wild lion, true for a rampaging rhinoceros and true for the hobgoblin known as Argemone. Especially true for her, given that this is literally the leash her Keeper once had connected to her collar. Perhaps a local sovereign or individual of significance (and wealth) asks the characters to go out and obtain the leash for him, a task that will take them to wild parts of the world and the Hedge. Of course, there will be competition. Others want it and will do what they must to get it. Even worse, Argemone seeks the leash — not consciously, not really, but in the way a loyal hound sniffs out a beloved scrap of her dead master’s clothing. Any seeking the leash will have to contend with swift competition and a rampaging hobgoblin.

—-

Crime no Partenon / Maria Degolada

http://www.bengochea.com.br/detnotic.php?idc=6403

http://www.ihgrgs.org.br/Contribuicoes/Maria_Degolada.htm

Coralscalp: Harvested from under the waves where the Hedge and the ocean meet, coralscalp resembles kelp from a distance. Only close inspection reveals it to be made up of long, fine, hair-like fibers. When dried and smoked, coralscalp bolsters a changeling’s sense of self for the re­mainder of the scene; she gains a bonus die on perception rolls and rolls to avoid losing Clarity. Afterwards, however, the character experiences mild hallucinations, suffering a -2 penalty to all perception rolls for the following scene.

http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-21/questoes-mentais/eletrochoque

—–

Terapeuta:

Irmã mais velha de três crianças órfãs, aprendeu muito cedo a importância do trabalho duro. Casada com um homem abusivo, divorciou-se para sobreviver. Agora, ela busca compartilhar a força que a vida obrigou-a a desenvolver com os internos do Hospital Psiquiátrico São Pedro.

Uma mulher magra na casa dos cinquenta anos, que gosta de saias, camisas brancas e pérolas falsas. Evita preto para não salientar seu aspecto frágil e leva no rosto as marcas de uma vida dura.

Ainda que não seja brilhante, ela é imensamente dedicada e caridosa, qualidades que conquistaram a confiança da equipe médica e dos pacientes do São Pedro. E que a levaram a ser o repositório de confissões de todo tipo.

—–

Padre:

Pequeno, ele sempre foi o olheiro ideal para que os amigos mais velhos que cometiam crimes. Até a passagem pelo reformatório. Um religioso local tornou-se a figura paterna que até então desconhecia e converteu-o. Depois veio o estudo e a necessidade de levar a outros a sorte que ele teve.

Adulto, continuou com físico diminuto dos tempos de infância, fazendo parecer ter menos do que os quase trinta anos de idade. O aspecto juvenil é contrabalanceado pelo colarinho, que ostenta em todas as ocasiões e o identifica como um homem de Deus.

Ele é um tipo duro, cuja juventude contrasta com a defesa dos mais empedernidos dogmas da Igreja. Ainda que suas forças estejam voltadas contra os homossexuais, drogas e criminalidade, nada indica que a qualquer momento ele não possa considerar também a insanidade uma praga divina.

—–

Wiccan:

Ex-marido de uma das psiquiatras do São Pedro, ele investe a maior parte do tempo longe do Corpo de Bombeiros administrado um portal na Internet a respeito de Wicca. Acredita já ter visto formas no fogo – seres elementares que incentivam a humanidade aos incêndios e regozijam com seu resultado.

Longilíneo, ele é mais forte do que aparenta, resultado do treinamento constante. Sua mão direita possui cicatrizes profundas, fruto de um salvamento traumático em uma das regiões mais pobres da cidade.

Ele poderia ter galgado postos mais altos, mas permaneceu fiel à necessidade de combater incêndios e os elementares por trás deles. Apesar do trabalho rude, ele é gentil e delicado, uma característica que os colegas atribuem ao homossexualismo não reconhecido.

—–

Policial:

Ele é de uma família que fez carreira na Polícia Civil e na Brigada Militar. Gente que a vida toda buscou preservar, da melhor forma possível, o modo correto de fazer as coisas. Ele, porém, viu coisas demais ao longo da vida como investigador. Coisas que fizeram pensar que, se Porto Alegre tem uma alma, esta alma está corrompida quase além de qualquer salvação.

Ele tem todas as marcas que a rotina irregular de trabalho, e os interesses noturnos, podem imprimir no rosto de um homem. O gosto por bebidas fortes e o ar amarrotado complementam um quadro que colegas e superiores estão prestes a serem incapazes de ignorar.

Ele cresceu cercado por figuras de autoridade. Isso o leva a comunicar-se de modo impositivo quase que o tempo todo. Além disso, o sono insuficiente o torna impaciente e, por vezes, distraído quando o tema não é de seu interesse imediato.

—–

Teatro do Serafim – Uma casa de espetáculos que permite qualquer tipo de exibição sobre o palco. É reduto de artistas underground e Changelings dispostos a apresentar seus dotes artísticos em troca de Glamour. Comandada por Antiquado, um poeta frustrado que a batizou assim por conta da obra de Baudelaire, Paraísos Artificiais. Ele tem tatuado no braço a serpente com três pares de asas que é o motivo do clube.

—-

Spirit Crusher – Death

It comes from the depths
of a place unknown to the
keeper of dreams
if it could then it would steal
the sun and the moon from the sky
beware

Human at sight, monster at heart
don’t let it inside it could
tear you right apart

When it’s time to feed to fulfill
the need to consume a breath
some will rise standing tall
breathing out all the breath from
the voice of a soul.

—-

The Prize of Beauty – My Dying Bride

She waits for me in my dreams.
Every night misery brings.
Haunts my day. Haunts my wake.
Oh, my lord can’t you feel her grow,
inside of me. Tearing my mind.
For once my lord please help me
Believe in you.

—-

Little Wing – Hendrix

Well, she’s walking through the clouds
with a circus mind
that’s running round.
Butterflies and zebras and moonbeams
and fairy tales,

That’s all she ever thinks about …

Riding with the wind.

When I’m sad, she comes to me
with a thousand smiles.
She gives to me free.

It’s alright, she said,
it’s alright.
Take anything you want from me,
You can take anything, anything.

Fly on, little wing
Yeah, yeah, yeah, little wing…

—-

“Tutti Non Ci Sono”
Um paciente psiquiátrico sai de um hospital com uma gaiola vazia, vaga sem meta pela metrópole e se encontra diante da porta de um teatro. O espetáculo questiona o conceito da loucura e a fronteira dos preconceitos.

“Frustra-Azzione”
Um jogo de obsessões psicóticas de um açougueiro que ama seu trabalho e que manipula com virtuosidade a carcaça. O odor forte e penetrante da carne morta que impregna suas mãos é o principal protagonista deste monologo e é o que determina uma transformação em sua vida. O erotismo presente no texto se inspira em autores como Artaud e Bataille.

Dor, Perda, Identidade, Existência, Prisão, Simulacro, Emoção, Sonho, Insanidade, Horror, Sebe, Arcádia, Política, Submundo, Crime, Lembrança, Orgulho, Alienação, Ignorância, Desconhecido, Extravagância, Violência, Sobrenatural, Paranoia, Família, Embuste.

—-

Eliseu / Campos Elíseos / Cockaigne

http://en.wikipedia.org/wiki/Cockaigne

http://en.wikipedia.org/wiki/Land_of_Cockayne_%28poem%29

Take, for example, he of the Others who is known as Fiddler’s Green.

He never kidnaps anyone, as the other Fae often do. Kidnapping is something bad people do, and Fiddler’s Green is all but a bad person. No, he never kidnaps.

He just takes people away.

Fiddler’s Green comes to people who are suffering through no fault of their own, who deserve, so he believes, a better life then they were God given. He comes for the brave soldier facing impossible battles one after the other. He comes for the wife miserable, who loves her husband so for all of his beatings. He comes for the terminally ill child in the hospital bed about to perish. He comes for the poor businessman with no goal in life, on the verge of a pointless, depressed suicide.

And he takes them away from this cruel, merciless, unfair place, and rewards them as they are well deserved, a realm of eternal joy and beauty, a shady meadow green forever filled with the song of young fiddles. There the flowers forever bloom delicate in all the wonderful and magnificent colors, and the weather is always fair, the trees forever ripe with delicious, tantalizing fruit. An endless feast is held there, the table lit by faerie lights softly creaking with the weight of wine and meat and all manners of candy, and anyone can always order all of his favorite things to be served by handsome, friendly elves clad in green. There is no pain or sadness in this wonderful, good place. Only relaxation and play, song and dance, flowers and birds.

Such is the love and goodness of old Fiddler’s Green.

He never has to kidnap anyone, and most certainly never holds anyone prisoner, so naturally there can be no escape. Who would ever wish to leave such a wonderful, beautiful place? Surely there must be something wrong with one who would. Something has made them upset or disappointed, and Fiddler’s Green is more than eager to help. There is never a need for any of them to return to that cruel, dirty place they came from.

Fiddler’s Green loves all of his adopted children, but even good children may at times make dangerous and foolish mistakes, and it is their guardian’s duty not just to berate and punish, but also to teach, to forgive, to make things better again.

Sometimes a foolish child leaves his garden so, and Fiddler’s Green must thus go after them to bring them back. For their own good.
Fiddler’s Green is all but a bad person.

His arrival in this world to collect foolish children is heralded by the sound of a young fiddle, and the sudden bloom of flowers. He looks like a hearty, kind old man, with a funny little mustache and small glasses, and walks with a wooden cane. He always wears green: a green cloak, a green hat and so on. Though he is very friendly and unassuming, one would be wise not to underestimate his wrath, hard as it may be to invoke. The sword in his cane slays mortals with ease, and his revolver’s accuracy unerring. His mastery of the Contract of Vainglory and the Contract of The Elements (wood) is a force to be reckoned with.

Of his Frailties, two are known for certain: Fiddler’s Green may not cause harm to a sailor or a soldier, and he is easily repulsed by the sound of drink pouring from a vessel. So if Fiddler’s Green approaches, just empty your canteen upon the ground, and the old man will cover his ears in pain and fear and go away… for a while.

http://en.wikipedia.org/wiki/Cockaigne

—-

Fada-Fada – Fairest

Fada-Bicho – Beast

Fada-Sombra – Darkling

Fada-Bruta – Ogre

Fada-Faz – Wizened

Fada-Coisa – Elemental

Caramuru – Os Changelings que servem às Fadas. Referência ao modo como eram chamados os soldados imperiais pelos Revolucionários Farroupilhas.

Espantalho – Como são chamados os Simulacros.

—-

– Estrela – Darkling/Moonborn – Hijo de La Luna/Haggard – Delírio dos Perpétuos – Uma menina pálida e loira que vive nas ruas, com cabelos cobertos de folhas de outono, levada pela lua até cair do firmamento.

Brilha Brilha Estrelinha
Quero ver você brilhar
Lá em cima flutuar
Com diamantes a brilhar
Brilha Brilha Estrelinha
Quero ver você brilhar

“Sabia que essa música foi feita pra mim? Mas eu não sei quem fez.”

– Qual é o nome da palavra para quando as coisas não ficam sempre iguais. Sabe? Tenho certeza que existe uma. A coisa que te permite saber que o tempo está passando. Mudança! São tempos de mudança.

Cosme da Árvore Mais Alta – Beast/Steepscrambler – Barão das Árvores

Um velho de idade impossível e nem sempre coerente cuja agilidade nas árvores em nada foi comprometida. Há muito não toca o chão, e tal possibilidade hoje o apavora. Sua única companhia regular é o cão Ótimo Máximo. Ele tem uma cauda longa e longos dedos.

Dr. Procópio Quimera – Wizened/Chirurgeon – Gus Fring (Breaking Bad)

De meia-idade e aparência imaculada sua polidez beira à indiferença. É a principal figura da Ruína, e faz o possível para que ela continue sendo um porto seguro para outros como ele.

Juliano Terceiro – Fairest/Larcenist – Juliano VP (Abusado)

Um criminoso desde os onze anos de idade, e ganhou esse apelido depois que essa vida levou seus dois irmãos mais velhos. Na casa dos trinta anos, a pele morena e os olhos puxados fazem lembrar uma mistura de negro com japonês. Terceiro é direto na fala rápida e repleta de gírias. Combate os adversários de seu pequeno império criminoso em expansão vivendo “o lado certo da vida errada”.

O Antiquado – Wizened/Antiquarian –

Coberto de pó, esse colecionador de objetos tem grandes planos para A Ruína e toda sua comunidade. Mas seus esquemas podem estar se tornando maiores do que é capaz de administrar…

Otávio Clemente – Um servidor social, se alimentando da dor e da esperança de famílias reunidas em torno de camas de hospitais

Elo Perdido – O bruto insondável, de mente simples e força aterradora

Branca de Neve Uma mulher que escolheu ter a vida de conto de fadas

Claudio Ribeiro Uma criança levada cedo demais e vítima de seu pai

Amanda – Das ruas, para o Banhado, e de volta às ruas. Todos lamentam por Amanda

Lady Jaqueline – Uma dominatrix sem interesse por sexo, uma terapeuta da dor ainda secretamente ligada a seu carcereiro

Sara, a Flautista – Ela foi levada por sua habilidade, mas teve que abrir mão dela para escapar. Vive infeliz e em silêncio.

João Gentil – Puro carisma e dedos afiados, levando o coração de amantes até o banhado para oferecer a sua carcereira, que ainda procura pelo órgão que ele roubou em sua fuga.

Anúncios

7 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Rafael Gonçalves Caetano said, on 22/05/2013 at 19:10

    :(

  2. Rafael Gonçalves Caetano said, on 22/05/2013 at 19:11

    Podemos ter a esperança de ver mais postagens sobre RPG aqui?

  3. Carlos Hentges said, on 22/05/2013 at 19:21

    Cara, acho difícil pensar a vida sem RPG, mesmo com o tempo fazendo falta. Então, é possível que apareça algo. No momento, estou buscando me organizar pra isso:

    http://mundodastrevas.com/forums/play-by-forum/topics/promethean-the-created-linha-da-vida

    Mas tive o azar de tomar gosto por um cenário que não é popular e, dentro dele, ainda resolver pela criatura mais obscura. Vamos ver se rola. Tá convidado, aliás.

    Mais sorte tem os narradores de D&D e tal e qual.

  4. Rafael Gonçalves Caetano said, on 22/05/2013 at 19:47

    Tentador. Como funcionaria o sistema?

  5. Carlos Hentges said, on 22/05/2013 at 19:57

    Cara, é o Mundo das Trevas / World of Darkness como qualquer outro jogo da linha. Existem as especificidades, mas são poucas. Estou pensando em algo mais narrativo, sem influência de regras. A ficha de personagem, por exemplo, vai servir meramente como orientação.

  6. Rafael Gonçalves Caetano said, on 22/05/2013 at 20:07

    Perfeito. Eu poderia arriscar.

  7. Carlos Hentges said, on 22/05/2013 at 20:16

    Te manifesta lá e vamos em frente.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: