The Truth's For Sale

Diários (Ir)Radiados – Sorte, ou algo assim

Posted in GURPS, O Jogador, RPG by Carlos Hentges on 07/02/2012

Megaton está na mira do Enclave. Era o primeiro lugar onde procurariam depois do que fizemos. Foi para tentar impedir o pior que chegamos até a base da Irmandade do Aço. A recompensa pelas nossas cabeças chegou antes, pelo rádio. Acho que isso serviu para despertar o interesse do Ten. Trautmann a nosso respeito. Thorne e eu meio que mostramos tudo que descobrimos nos últimos dias. Acho que parecemos desesperados, mas o Tenente foi esperto o bastante para não nos deixar perceber isso. Em troca de tudo que entregamos, ele concordou em enviar um homem para monitorar a movimentação em Megaton. Se fosse preciso, mobilizaria um grupo para defender a cidade. Eu consegui mandar uma mensagem para Lucas junto com o soldado que ia pra lá. Para tranquilizar ele, Moira e a meninas. Em um dia aprendi o que pude de codificação e decodificação de mensagens. Vai ser útil. Dali, fomos para Big Town. É um lugar que não conheço, mas Thorne disse ter conhecidos e alguma reputação lá. Era o que a gente precisava para ficarmos tranquilos enquanto a poeira baixava e o próximo passo ainda não vinha. Mas coisas não eram bem assim. Tem um médico que Thorne resgatou em troca de tampas e drogas e alguns moradores ressentidos de quanto custou ao lugar se livrar de Super Mutantes. A segunda parte eu descobri durante uma discussão em um bar. A primeira, no início da noite, quando Thorne teve uma crise de abstinência. Sofreu todo tipo de ilusão. Se tivesse uma arma na hora, teria atirado em fantasmas. Sentada no chão e com Thorne delirando e amarrado na cama, acabou que eu não dormi muito na primeira noite em Big Town. E acabou sendo a única. Na manhã seguinte, enquanto Thorne ia ao médico, Dr. Red, para saber onde conseguir ou sintetizar a tal de Memento que precisava, um caçador de recompensas me abordou. Eu sou peixe pequeno. Ele queria Thorne. Eu consegui distrair o cara com a história dos Super Mutantes e de como Big Town é agradecida ao seu herói e como ele poderia enfrentar resistência se fizesse algo conosco ali. Nem sei de onde tirei isso. Funcionou. Eu fiz ele acreditar que eu trairia Thorne em troca de algumas tampas. Combinei tudo. Quando deixamos Big Town para buscar caravanas que poderiam ter Memento, aviso Thorne da situação. Paramos em um local que possa nos proteger do atirador que acompanha o caçador. E então, dá tudo errado. Thorne está deitado junto dos escombros de uma casa. Quando ele chega, digo que dei jeito com um bastão de choques. Mas ele desconfia. Diz para eu repetir a eletrocussão. Por garantia. Merda! Com Thorne desacordado de verdade, posso não conseguir lidar com esse cara. Tento acertar ele, mas a porcaria do bastão dá um choque em mim. Zonza, mal percebo quando Thorne levanta-se e atira com a arma de dardos. Eles não atravessam a proteção do caçador. O desgraçado ri quando aponta para Thorne. E então, sua cabeça explode e se espalha sobre mim. Eu me protejo, pensando que o atirador é simplesmente tão desajeitado quanto eu. Lá de longe, gargalhando, vem um homem de chapéu e bigodes. Carrega o rifle nas costas. Quer saber de um cofre.

Meu nome é Erza. Bem, não é meu nome de verdade, mas é como meus pais me chamavam, então, acho que conta. Eu vou continuar escrevendo esse diário enquanto puder.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: