The Truth's For Sale

Rage against Something

Posted in PS3 by Carlos Hentges on 18/01/2012

O horror, pixelado.

A primeira coisa que lembro quando penso em Doom é a SpiderDemon. Ela surge em toda sua glória aracnomecanoide no final do jogo original, armada de um cérebro com feições demoníacas (é claro) e uma metralhadora giratória.

A Metralhadora giratória, aliás, é um ícone difícil de resistir. É a única coisa capaz de despertar um sorriso no cyborg “interpretado” por Schwarzenegger em T2. E, provavelmente, foi responsável por metade dos votos recebidos por Jesse Ventura, eleito governador de Minnesota; em Predador, ele foi o portador da metralhadora giratória, instrumento do rearranjo da vegetação nas matas da América Central.

Pois bem, tudo isso para dizer que, quando em Rage eu finalmente consigo a minha metralhadora giratória, faltam os alvos adequados. Cuspindo cargas de plasma, a arma não encontra, em todo segmento final do jogo, algo para glorificar sua devastadora capacidade de aniquilação da vida. Inimigos genéricos em seguidas ondas é o desafio final que você vai encontrar.

E isso, em se tratando da empresa que criou Doom e é responsável por Rage, é uma péssima decisão. Nem preciso lembrar que, no clássico de 1993, a metralhadora não demora a mostrar a que veio pelas mãos do protagonista.

Semelhante a Doom, além das quatro letras no nome, é o alter ego mudo e a falta de uma história que importe. Ao longo da jornada pela terra devastada de Rage é possível encontrar vários personagens, todos incrivelmente animados e ricos em detalhes. Eles te enchem de missões. Pegue isso, consiga aquilo, destrua aquele outro, preciso disso, disso e disso. Tudo sob o pretexto de que a Autoridade está estrangulando a liberdade e a possibilidade da humanidade (tá, parei) reerguer-se após a devastação do planeta.

Sintoma do enredo nada motivador (nem original) de Rage, eu sequer lembro o motivo de o planeta ter sido transformado em um deserto à Mad Max, esburacado e cheio de mutantes. Nesse sentido, Rage lembra bastante Borderlands, outro jogo de história esquecível e visual marcante, ainda que com uma direção de arte com objetivo completamente distinto (e sem o divertido modo de jogo cooperativo).

Borderlands e Rage, aliás, dividem outra semelhança nada meritória: o problema de texturas. Se no primeiro isso acontecia apenas quando uma nova área do mapa era carregada, no segundo ocorre sempre que você se vira. É mais curioso do que inconveniente, mas demonstra que a indústria de games está se cada vez mais aberta à possibilidade de correção de erros após o lançamento, ou nem isso.

Enfim, ainda que não me tenha dado a arma que eu queria, com os alvos que eu queria, no momento que eu queria, Rage é um bom jogo de tiro em primeira pessoa. Não só porque apresenta um cenário interessante (Power Plant e Dead City são arenas de combate variadas e de beleza singular, basta adicionar sangue), mas porque faz de atirar um grande prazer. As táticas dos adversários, sua movimentação e o jeito que voam, caem e são despedaçados vai te manter com o dedo no gatilho por muito tempo, apesar de todas as ressalvas acima.

Anúncios
Tagged with: , ,

5 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. L. Maroni said, on 20/01/2012 at 12:05

    Bethesda fucking graphics!

  2. Carlos Hentges said, on 20/01/2012 at 12:55

    Os gráficos são foda. Muito bonitos, mas com o porém que mencionei. Entretanto, não experimentei nenhum problema de queda significativa da taxa de quadros por segundo, o que é um mérito considerável.

  3. L. Maroni said, on 22/01/2012 at 00:00

    O Skyrim já evoluiu bem em comparação com o New Vegas, só não sei se o cara não vai ficar grudado numa parede de vez em quando…

  4. Carlos Hentges said, on 22/01/2012 at 12:08

    Acabou de acontecer, mas no Shadow of the Colossus.

  5. Carlos Hentges said, on 24/01/2012 at 08:35

    E de novo.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: