The Truth's For Sale

Diários de Guerra IV – Adeus ao Continente

Posted in GURPS, O Jogador, RPG by Carlos Hentges on 14/01/2010

O pequeno avião de Jaap não foi tão longe quando qualquer um de nós gostaria. E o rádio serviu menos do que o esperado. Havia alemães no solo e havia alemães na costa. Decidimos pousar no campo para procurar por combustível. Isso nos permitiria um retorno mais longo e seguro, contornado a possível posição da esquadra nazista. Durante o processo, Bomber tratou de ir enchendo com vinho o próprio tanque.

—-

A primeira propriedade que avistamos tinha apenas um guarda. Ele vigiava cerca de 30 pessoas em uma casa. Estavam assustados e fracos demais, e eu mal os compreendia. Disseram estarem presos por serem judeus. E que familiares, inclusive crianças, estavam “concentrados” em um lugar mais distante. Ele e muitos outros foram às lagrimas quando o vento trouxe uma fumaça negra de odor pestilento. Ele não conseguiu me explicar o que era aquilo.

—-

Eu, Bomber e Mad Dog, acompanhados dos homens mais saudáveis que encontramos na fazenda, rumamos até onde eles disseram viver um oficial nazista com a família. O homem seria o responsável pelo tal campo onde haveria mais prisioneiros. Nossa expectativa era a de encontrar combustível para o avião e sair dali o mais rápido possível. A nossa sorte acabaria junto com a madrugada.

—-

Mad Dog é um canalha sorrateiro e sanguinário. Ele conseguiu entrar na casa, mas no processo atirou na nuca de uma serviçal com uma daquelas pistolas silenciadas que os ingleses nos deram. Era necessário? Provavelmente. O que não torna aceitável…

—-

O tal capitão não estava. Mas a mulher e o casal de filhos, sim. Não foi difícil dominá-los. Até o momento em que me atirei sobre sua mãe para silenciá-la enquanto Mad Dog socava a irmã o garoto achou que fôssemos soldados alemães. Agora ele entendeu do que os nazistas são capazes…

—-

Deixamos os judeus com nossas armas. Elas os ajudariam a lutar por sua liberdade. A nossa missão ainda esperava ser cumprida e precisávamos partir. Já na Inglaterra, graças ao rádio de Jaap, quase fomos abatidos pela artilharia. Deus nos salve da Rainha e dos imbecis que ela comanda, pois é com fogo amigo que eles recebem seus aliados.

Anotações de Jack Thompson, do 82º Batalhão de Fuzileiros dos Estados Unidos da América, baseado na Inglaterra.

Anúncios

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. R.G. Caetano said, on 20/01/2010 at 17:45

    Essa história é baseada em alguma partida de RPG?

  2. Carlos Hentges said, on 20/01/2010 at 17:50

    Sim, uma campanha de GURPS. O link para todas as anotações está aí no cabeçalho.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: