The Truth's For Sale

Intruders: Encounters with the Abyss – Uma não-resenha

Posted in RPG, World of Darkness by Carlos Hentges on 12/11/2009

E então, Cthulhu fechou seus tentáculos sobre o Mundo das Trevas… Existe Intrudersum suplemento perfeito para os narradores que são fãs dos Mitos e do cenário da White Wolf. Não é o Antagonists, com sua excelente descrição de cultos e cultistas, nem o interessante Second Sight, com um capítulo sobre poderes concedidos por divindades cósmicas em troca de tarefas horrendas (ainda que ambos sejam ótimos livros). Intruders: Encounters with the Abyss é o que eu (e quem sabe você) estava procurando.

O Abismo, em poucas palavras, é o caos essencial onde habita tudo o que não é. Ao longo de cerca de cinqüenta páginas ficamos sabendo a seu respeito e do indizível que lá inexiste (porque existir não é um conceito que se aplica aos que do Abismo partem para fustigar os mundos).

Como descrever o indizível, de que forma ele pode irromper em uma crônica, como sua manifestação perniciosa racha a realidade, quais são os servos em potencial, como a estranheza, alienação e horror que desperta podem ser levadas para a mesa de jogo? Isso é apenas parte do que é respondido no primeiro capítulo de Intruders.

Nas páginas seguintes são descritas vinte e quatro manifestações abissais. Ali temos seu nome, ou nomes, um trecho de ficção para aclimatação, descrição, as formas que a entidade usa para chegar ao mundo físico, os resultados que isso comumente provoca na realidade, modos de banimento e o que uma pesquisa a respeito pode revelar, ganchos para histórias e, por fim, estatísticas.

Em um trecho especialmente interessante, o texto estabelece um paralelo entre as entidades do Abismo e as criaturas dos Mitos. Além de apontar formas para que se tire o melhor proveito possível dos trabalhos de Lovecraft, também existem indicações de como subverter as expectativas de jogadores excessivamente a par do tema (e, por óbvia conseqüência, com baixa Sanidade).

Originalmente, Intruders é um suplemento para Mage: The Awakening. Entretanto, eu o comprei como um “Livro dos Monstros” para Hunter: The Vigil, meu favorito da nova linha do Mundo das Trevas. Estou plenamente satisfeito com a ousadia.

A informação oficial: White Wolf.

Anúncios

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. R.G.Caetano said, on 12/11/2009 at 15:47

    Interessante essa combinação de gêneros e mitologias.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: