The Truth's For Sale

Experiências com o D&D 4th – As Cartas de Ação

Posted in O Jogador, RPG by Carlos Hentges on 16/09/2009

A última sessão de D&D foi atípica. Sem rolamentos. Sem combate. Foi um daqueles capítulos de transição, onde os personagens passeiam pela cidade conversando com muitos NPCs e tentando estabelecer pontos de ligação entre eles e o mistério da trama. Algumas pistas apontam para o envolvimento dos goblinóides que enfrentamos na primeira sessão, outras para os nobres que comandam o burgo, que estariam fazendo uso de instrumentos poucos sutis para arrendar terras.

Para não dizer que rolamentos não ocorreram, o mago do grupo usou alguns Truques para intimidar NPCs (com sucesso discutível) e o meu draconato guerreiro testou sua nova espada no escudo de um membro da guarda (um covarde, aliás).

Apesar dessa ausência de rolamentos em quantidade significativa, tivemos a chance de brincar com as cartas de ação, dessa vez em versão colorida e em papel cartonado (mestre se puxando). Recomendo que todos os grupos façam o mesmo. Trata-se de um resumo das manobras de combate que o personagem é capaz de desempenhar livremente, por encontro e por dia.

Uma mão na roda. O meu personagem de primeiro nível tem cinco delas. Imagino que minha mão estará mais cheia que a de um jogador de canastra muito em breve…

Bem, quem sabe da próxima sessão eu tenha a chance de contar como foi despedaçar o crânio dos fracos e cuspir ácido em suas faces.

Textos anteriores:
Construção de Personagem
O Primeiro Combate

Anúncios
Tagged with: ,

4 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Medonho said, on 16/09/2009 at 12:54

    Essa sessão é a prova de que em D&D 4E não há interpretação :P

  2. Carlos Hentges said, on 16/09/2009 at 13:46

    Salve,

    É possível que eu não tenha entendido o comentário…

    Entretanto, aproveito o espaço para dizer que essa história de que um sistema serve mais para interpretação do que outro é uma baboseira. Interpretação é coisa de cada jogador e, especialmente, do grupo. Quando o estilo do grupo aponta para interpretação, isso se dará em qualquer cenário, com qualquer conjunto de regras.

    Regras nada mais são do que um sistema com parâmetros para a resolução de conflitos.

  3. Medonho said, on 16/09/2009 at 15:56

    (meu último comentário foi uma irônia para aqueles que insistem em afirmar é em D&D 4E não há interpretação)

  4. Carlos Hentges said, on 16/09/2009 at 16:02

    Ah…sim. Foi o que pensei. Certamente concordamos quanto a isso.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: