The Truth's For Sale

Uma Empreitada Bucaneira – Aventura 13 – Um Thorne herda dinheiro, o outro, problemas

Posted in GURPS, O Jogador, RPG by Carlos Hentges on 20/05/2009

Aventura 13 – Um Thorne herda dinheiro, o outro, problemas.

Capítulo 1: Reparos, medicamentos, bebidas e mulheres. “– É natural que eu seja o Capitão, não? – É natural que não.”

O barco sofreu avarias. A população de Santiago está com medo, mas em festa, afinal, um grande pirata foi derrotado. A fumaça da batalha escondeu o aparecimento do Holandês Voador, e nem mesmo a tripulação do Marinheiro Ancestral percebeu quando ele entrou e saiu da batalha. Alguns homens viram o Capitão Thorne falar com um estranho que sumiu logo em seguida, mas ninguém o questionou devido à euforia. Algumas baixas, porém, são lembradas com honras. Bebidas serão tomadas e canções entoadas em seus nomes. A população da cidade recebe-os de braços abertos, e ainda não sabendo o que ocorreu no convento, se mantém alheia à situação. O Governador lhes concede uma carta explicando os acontecimentos e permitindo que seja usada para atestar a veracidade do ocorrido em outros lugares.

Durante a mesma noite Thorne anuncia que irá partir com Eleonora para Springfield. Ele já viu sangue demais em tempo de menos na companhia de Walker, e precisa um tempo com sua amada. Sua outra amada, o mar, sempre estará por perto. Na cabine do capitão, com Walker olhando mapas e rotas para Springfield, ele comunica o fato aos dois garotos, Alexander e Timmy. Ainda tem um último pedido a Alexander: partir para Port-du-Paix com a declaração do Governante de Santiago, Sr. Garcia Marques, atestando que derrotaram um notório pirata, e limpar o nome da família junto ao Governante Montesquieu e a guarda, com o Capitão Pistols Miller. A situação é delicada, e requer diplomacia, já que o Governante é o pai de Eleonora. Timmy será útil na situação.

A partilha do dinheiro é um momento delicado para Walker, mas ele sabe que é justo, afinal, conquistaram todo aquele montante juntos. E ele ainda tem o barco. A coleção de livros achada no convento é algo que atrai o interesse de Timmy: são livros extremamente raros, de uma coleção de Shakespeare, que lhe são cedidos por Walker. Nem mesmo a notícia de que continuará “vigiado” por seu mais novo companheiro desanima Alexander, que finalmente parece sentir-se livre. As apostas e as mulheres são os destinos mais óbvios.

Capítulo 2: Tortuga e depois Port-du-Paix. “Eu vivo com as peças dele e aposto com as minhas.”

Walker decide passar em Tortuga para carregar o navio com bebida, já que irão para Springfield. Lá, Timmy e Alexander são deixados para partirem até Port-du-Paix. Os dois, sozinhos no mundo, têm uma breve conversa e resolvem procurar um bordel barato. Enquanto Alexander observa algum apostador em potencial, Timmy repara na bela Angela Allen, dona do bordel da Rua Acácia. Com as palavras certas para uma mulher que não está acostumada a ouvir elogios, ela acaba gostando do garoto, e o leva para o quarto.

Na volta para a sala, tenta de qualquer forma não parecer prepotente e mais capaz para Alexander, o que só irrita ainda mais o jovem Thorne, lhe parecendo que está tentando esconder o troféu recém ganho. Depois de uma noite de sono, partem com um navio mercante até a cidade vizinha.

Em Port-du-Paix reencontram amigos no porto, falam sobre Thorne e sua amada, causando surpresa entre os marinheiros. Uma nova discussão entre os dois acontece, agora porque Timmy acha que não é justo que Alexander tenha dito aos marinheiros que haveria uma festa de casamento, se não disse onde nem quando. É como se deixassem mulheres nuas em frente aos marinheiros depois de meses no mar, mas dissessem que é só para “sentir o cheiro”. Alexander não se importa. Depois de alguns minutos, rumam para a prisão, como visitantes, para falar com o Capitão.

No local são prontamente recebidos e, após avaliar o selo da carta, Pistols Miller confirma a legitimidade do documento. Prontamente, dá os parabéns aos dois. Entretanto, quando se refere a Thorne de forma incisiva, Alexander toma as dores da família – como não poderia deixar de ser – e destila seu veneno, insinuando que se não houvesse tido nenhum tipo de erro por parte de nenhuma Guarda, seu irmão não teria que prestar explicação nenhuma. Timmy intervém e acalma o Capitão. Foi bom ter mandado Timmy, realmente bom.

O Capitão Pistols Miller fala que uma festa será dada durante a noite, na casa do Governador, se tratando de um ótimo momento para tornar público o fato entre os mais notórios cidadãos da cidade e alguns de fora. Roupas apropriadas são necessárias, mas com que dinheiro? Para que dinheiro se na dupla está Alexander von Thorne, praticamente um messias capaz de multiplicar as peças de ouro?

Enquanto Timmy vai fazer uma visita ao Abade Queiroz para lhe contar as novidades e o sucesso da missão de salvamento de Eleonora, Alexander trata de conseguir dinheiro. Mais! Em uma casa de apostas escondida entre ruelas descobre bons apostadores e maus jogadores, uma combinação que lhe é extremamente vantajosa. Jogando de forma honesta, percebe que um trapaceia. “Joguemos pelas suas regras, então”. O talento do jovem com as cartas é infinitamente maior que o de seus oponentes, e em meia hora ele junta a quantia de 100 peças. Dirige-se para um alfaiate, onde pede que roupas sejam ajustadas para ele e seu companheiro.

Durante a prova das roupas, Timmy e o Abade Queiroz vão até o alfaiate, coincidentemente, o mesmo que Alexander está. Com um olhar de trabalho cumprido, fala que conseguiu o dinheiro e diz que roupa dele também está pronta. Um desconto conseguido pelo Abade com o alfaiate é cedido por Alexander como doação para a igreja, fato que chama atenção de Timmy. “Um apostador com boas intenções… interessante.”

Um banho, um perfume, e rumo a festa.

Capítulo 3: A festa. “Ah sim, havia também o sócio do Governador, o PI-RA-TA Jack Sparrow.

Chegando à mansão do Governador Montesquieu são recepcionados pelo Capitão e os anfitriões. Dentro, a comida é o primeiro alvo. Conversas fúteis são tratadas por aqueles que querem saber quem são os dois jovens sozinhos na festa, com o real interesse de colocá-los nos seus devidos lugares. Um piano chama atenção de Timmy. Começam os problemas. De forma extremamente habilidosa este toca algumas sinfonias enquanto os convidados são recebidos na parte de fora pelo Governador e sua esposa. Aplausos de todos ao final, menos de Alexander, que entende aquilo como uma provocação. A convidada de honra é anunciada: Duquesa Mary Moore.

Os músicos anunciam a valsa, e antes que Timmy pense que pode chamar atenção demais, convida uma jovem donzela para acompanhá-lo. Magistralmente conduzindo sua parceira, arranca olhares de todos, que tão logo cedem lugar e posicionam-se lateralmente na sala. Os olhares atentos da Duquesa não têm outro alvo se não ele. Assim que a dança acaba e os aplausos cessam, ele percebe seu amigo com um olhar de indignação. Alexander tem certeza de que tudo não passa de uma estratégia para rebaixá-lo perante os outros.

A belíssima ruiva caminha em sua direção. Apresentada pelo Governador, ela olha desconfiada para ele, como se conhecendo aquele rosto. Para sua sorte, Alexander não percebe. Uma nova dança, uma nova parceira. Enquanto Alexander troca farpas com o Capitão, Edward é desmascarado, mas logo em seguida tranqüilizado, já que a Duquesa Mary Moore nada tem a ganhar revelando onde ele se encontra. Contudo, isso é assunto para uma conversa mais prolongada, depois da dança.

O Capitão Pistols Miller pede a palavra ao Governador, e entre poesias e elogios, anuncia a queda de Von Nietzsche, pela tripulação dos dois bravos marinheiros presentes. Mais aplausos, e parece que a festa nem é para a Duquesa. Os dois, acompanhados pelo Capitão, partem para o gabinete pessoal do Governador. Antes que este chegue, Alexander aproveita a ocasião para dar mais uma alfinetada em Miller, mencionando algo que havia esquecido: “o pirata Jack Sparrow, sócio do Governador, também estava na batalha, e também foi derrotado”. Um mordomo coça a garganta e Miller é incisivo o suficiente para fazer o garoto entender que se repetir aquilo pode ter graves problemas. O Governador chega e aceita em conceder uma carta semelhante a que já possuíam, para atestar seu reconhecimento também.

Mas não é nisso que os dois garotos pensam no momento. Timmy já tem seu alvo, enquanto que Alexander decide tornar-se um. Juntando garotos e garotas ao seu redor, conta os fatos da batalha, arrancando suspiros dos seus ouvintes. Não demora até que uma moça, donzela na frente dos pais e uma mulher sempre que pode, decida-se. O porão é o rumo e um barril de vinho oferece o apoio necessário.

Enquanto isso, Timmy faz-se perceber em direção a sacada. Não demora, a Duquesa chega. Com uma conversa bastante amigável confessa surpresa sobre o fato de um garoto com um futuro promissor tenha largado tudo, mas compreende seus desejos e promete segredo. Mesmo amigável, o galanteador não perde a chance, mas a mulher possui mais classe que sua última parceira. Não se ofendendo com a investida, sorri e diz estar passando por um novo casamento. Laços importantes de amizade são criados com alguém bastante influente.

A festa acaba. Os frutos colhidos foram vários. No caminho para o porto são abordados por dois homens que gritam o sobrenome Thorne. Alexander demora, mas logo percebe que são homens de Von Nietzsche, ainda sob as ordens de seu derrotado chefe. Separam-se e correm. Um deles alcança Alexander, mas é posto para dormir com um tijolaço na cabeça. O outro, depois de errar um tiro e tentar acertar alguns socos em Timmy, resolve sacar a espada. Neste exato momento Alexander aparece e utiliza sua arma improvisada novamente, colocando outro para dormir. Enfim, paz.

Capítulo 4: O Cachalote! “Mas que azar que Thorne não está aqui!”

Na manhã seguinte partem para outra cidade, com o mesmo objetivo de Port-du-Paix. As rotas comerciais acabaram de se abrir. Decidem, então, alugar um pequeno barco. Entre uma cidade e outra percebem que estão sem água. Uma pequena ilha é vista, com um cume. Deve haver uma pequena fonte, ou cocos. Os dois garotos descem para procurar. Um gêiser assusta, mas indica a localização da água, ainda que quente, pensa Alexander. Chegando perto, ambos têm uma visão curiosa: o chão se fecha e se abre. Com o balde jogado dentro o gêiser é novamente esguichado, e depois um pequeno tremor. Não é uma ilha, é uma maldita baleia! É o CACHALOTE DE THORNE!

Uma Empreitada Bucaneira foi uma campanha de dezessete sessões que viajou pelos mares do Caribe utilizando o sistema de navegação GURPS.
Narração e Texto: Carlos Alexandre “Gói” Fedrigo
Alexander Thorne: Carlos Hentges
Johnny Walker: Filipe Brunetto
Edward Seymor-Saussare, vulgo Timmy Travesso: Luiz “GoreCorpsed” Prado

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: