The Truth's For Sale

Hunter: The Vigil – Admirável Estranheza

Posted in RPG, World of Darkness by Carlos Hentges on 21/01/2009

Hunter: The Vigil – Um Sombrio Dito Notável

Capítulo 02 – Admirável Estranheza

I have no idea where this will lead us, but I have a definite feeling it will be a place both wonderful and strange.

Dale Cooper – Twin Peaks

16/12/2008

Cena 01 – Introdução

Anastasio Vittorino está diante de um cadáver. Apenas mais um dentre tantos. Dizem que é preciso ter estômago para escolher uma especialidade como essa. Vittor concordaria. Mas de todos os dissabores que a vida como membro da Homicídios de Chicago lhe trouxe, perder o apetite nunca esteve entre eles. Ainda mais quando a situação é tão simples.

O corpo de Javier Webster apresenta diversas lacerações de profundidade variada no pulso direito. A maior delas causou a hemorragia fatal. Testes com resultados ainda pendentes vão descobrir se o suicida ingeriu qualquer substância proibida. Até lá, Webster é apenas um arquivo que caiu sobre a mesa de Vittor.

A rotina desanimada de observação e análise cessa quando o corpo é virado. Em suas costas, cicatrizes recentes causadas por fogo desenham três linhas de símbolos indecifráveis.

Ao chegar em casa, Karl Krueger se depara com as caixas da recente mudança. Na escuridão do apartamento à espera de vida, brilha a luz de seu telefone. 32 chamadas perdidas. Todas elas idênticas na falta de sentido. Dez segundos de zumbidos e estática. Todas originadas a partir de um número inexistente.

Em seus sonhos, Jonathan Trager retorna a Universidade de Chicago. Está no mesmo banheiro onde encontrou o corpo sem vida de Javier Webster. A porta que leva ao corredor não tem maçaneta. E a janela está coberta por tijolos. Um estrondo atrás de si alerta para a presença de um estranho. Ele tem nas mãos um taco de baseball. Trager o cumprimenta, ao que o homem responde avançando e golpeando-o no rosto. Sem conseguir manter o equilíbrio, Trager cai em um dos compartimentos reservados do banheiro. O mesmo onde estava Webster. Defendendo-se debilmente, ele sente a dormência nos braços quando as forças lhe faltam e a dor dos golpes toma todo o corpo. Gritando, com o gosto do próprio sangue na boca, Trager desperta.

17/12/2008

Cena 02 – Pedido de Desculpas

O controle da situação se esvai das mãos de Trager depois de apenas quinze segundos de conversa. Tendo ligado para o detetive Jason Kemp para manifestar seu arrependimento por ter-se passado por um policial, é pego de surpresa ao ser convidado a visitar o 21º Distrito de Polícia de Chicago. Aparentemente, Kemp tem uma visão rigorosa a respeito do que ele considera obstrução da Justiça.

Mais tarde, Trager se vê em uma das salas de interrogatório do distrito. Além de Kemp, um homem que permanece todo o tempo em silêncio o observa. Apesar de inicialmente posicionar-se defensivamente, não demora até que Trager tome conta da situação. Expressa com desenvoltura o seu pesar pelo mal-entendido, tira qualquer responsabilidade dos ombros de Krueger e ainda oferece ajuda quando o detetive manifesta suspeitas a respeito da morte de Javier Webster estar relacionada ao suicídio de William Conner, há quatro anos, no campus da Universidade de Chicago.

Depois que Trager é liberado, Kemp e Vittor concordam quanto à sua inocência. Trata-se apenas de um abutre bisbilhotando – comportamento típico da imprensa. Entretanto, uma informação revelada tem significado especial. Por que Michael Cathcart, diretor do Departamento de História, tomaria a frente da turma do abafa, sendo que Webster era aluno do curso de Letras, e foi lá que se deu sua morte?

Cena 03 – Questões Acadêmicas

A manhã de Krueger se passa toda em função de atividades no Departamento de História da Universidade de Chicago. O encerramento prematuro do semestre em virtude da morte de Javier Webster atrasa sua estréia como professor da instituição. Por outro lado, permite que Caleb Whitfield lhe passe uma série de considerações a respeito das cadeiras que estarão sob a responsabilidade de Krueger, antes ministradas por Daniel Holcomb.

Holcomb acaba sendo um assunto inserido sempre que possível por universidade-neveWhitfiled ao longo da conversa. Krueger não entende a insistência do colega no tema, mas por conta disso fica sabendo que ele e Cathcart eram bastante próximos, sendo dois dos professores mais antigos do departamento.

Após o almoço, Krueger recebe alguns recados. O funeral de Javier Webster se dará nas dependências do campus, na tarde seguinte. E o pedido que ele fez à Biblioteca Joseph Regenstein para consulta do volume Origens do Rei Amarelo foi negado. A obra encontra-se no setor de restauração, e não há uma previsão para o fim dos reparos.

Cena 04 – Coleta de Evidências

Durante boa parte da tarde, Vittor se encarrega de confirmar as informações a respeito de Javier Webster. Mesmo no campus esvaziado pelo fim prematuro do semestre, não é difícil levantar os dados: introspectivo, inseguro, distante de fraternidades, drogas ou festas. Praticamente talhado para a reclusão.

A parada seguinte é no Auditório Samuel Fisher, onde ocorreu a morte. A cena foi lacrada, mas assim que cruza o corredor que leva ao banheiro o detetive percebe a violação. A porta apresenta sinais de arrombamento e diversas das faixas que impedem o acesso ao banheiro estão soltas.

yellow-signAo entrar, Vittor é tomado por um sentimento de opressão muito forte. Não deixa de ser uma sensação interessante, considerando sua experiência em cenas mais violentas. De qualquer modo, isso não o impede de notar imediatamente um símbolo grafado no chão. Pintado com sangue, o desenho se assemelha àqueles encontrados nas costas de Webster.

Aparentemente, as suspeitas do detetive Jason Kemp ganham força. Um tipo de culto ou sociedade secreta parece estar operando no campus da Universidade de Chicago.

Cena 05 – Tentativa Frustrada

Sentado em uma lanchonete enquanto desfruta de seu almoço das 16 horas – café -, Trager pensa sobre os símbolos mencionados na conversa com o detetive Kemp. Qual seria o propósito das inscrições, e por que Javier Webster se importaria em realizar um trabalho tão metódico antes de enfiar uma lâmina repetidas vezes no próprio pulso?

O escritor supõe que alguns alunos da Universidade de Chicago possam conhecer o significado daquilo. Misturando uma cópia fiel dos traços feitos por Webster com alguns inventados por ele próprio, Trager se encaminha até o campus determinado a investigar a questão.

E não seria ótimo se ele esbarrasse com algum daqueles fãs que apareceram na sua palestra, no Auditório Samuel Fisher? Infelizmente, todas as suas expectativas acabam naufragando. E apenas o controle remoto e 200 canais podem ajudá-lo a lidar com a frustração.

18/12/2008

Cena 06 – Chamadas Perdidas

A origem intrigante das chamadas para o apartamento de Krueger apenas começa a ser desvendada a partir da intervenção da simpática senhorita Elizabeth Leeds. O número é de um dos telefones que tiveram suas linhas removidas do Departamento de História. Isso já faz muito tempo, mas ela ainda tem os registros dos pedidos feitos à companhia telefônica. Originalmente, o número ficava em uma sala atualmente sem uso. Sorrindo, ela entrega a chave ao professor.

Identificado apenas por “Depósito”, o ambiente mais parece uma coleção de rejeitados. Livros aos pedaços. Antigos filmes em Super-8. Fitas VHS. Todo tipo de quinquilharia que não mereceu espaço na estante de alguma biblioteca ou museu dos andares superiores. A poeira acumula-se há anos.

Decidido a saber quem lhe passou tão inconvenientes trotes, Krueger acaba descobrindo uma espera para telefone. Porém, ainda falta encontrar o aparelho. Abrindo gavetas e portas de velhas estantes, ele se depara com uma pasta que lhe chama atenção. Trata-se de um arquivo com o relato de diversos encontros. As atas são identificadas como pertencentes ao “Núcleo de Pesquisa Acadêmica”. Os registros começam há cerca de seis anos e vão até menos de três semanas atrás. Dos cinco nomes citados, os de Michael Cathcart, Jerry Detwiller e Daniel Holcomb são imediatamente reconhecidos.

Passando os olhos sobre as páginas, Krueger percebe referências a questões lingüísticas e folclóricas. O material se assemelha ao conjunto mal organizado de idéias colhidas a partir de debates ou encontros de um grupo de discussão.

Antes que consiga aprofundar a leitura, a porta do depósito é aberta. Michael Cathcart demonstra surpresa ao se deparar com o seu subordinado. Aborrecido, alerta Krueger para o fato de que ele não possui autorização para estar no local. Lamentando o ocorrido, mas sem desculpar-se, Krueger deixa os mistérios daquela sala para trás.

Cena 07 – A Família Webster

Poucas horas antes do funeral, a tristeza está instalada no quarto de Javier. Yolanda e Anthony Webster empacotam os últimos pertences do filho. Mesmo diante da situação, Vittor não se furta ao dever de questionar o comportamento do estudante, ao que o pai reage imediatamente – seu filho jamais esteve envolvido com drogas ou qualquer outro tipo de problema.

Yolanda concorda que o fato de Javier não tê-los visitado ao longo de todo o semestre, e sequer ter deixado o campus nesse período, é curioso. Ela atribui isso às pressões originadas pelo estudo. Certamente, os problemas para dormir teriam a mesma causa. Entretanto, há três semanas seu filho enviara uma mensagem mais animada. Um professor havia concordado em conduzir sessões de terapia com ele. Algo fabuloso, principalmente para um garoto tão retraído. Ainda mais em se tratando de quem era – Jerry Detwiller, o diretor do Departamento de Psicologia da Universidade de Chicago.

Cena 08 – Funeral

Mesmo sob o frio intenso de dezembro, que transforma a paisagem em um cenário branco sem contrastes, um grupo significativo de pessoas se reúne sob o teto da Capela Rockfeller para prestar as últimas homenagens a Javier Webster. Ocupando um banco ao fundo, Krueger avista Michael Cathcart, que lhe dirige uma expressão rancorosa, certamente motivada pela breve discussão do dia anterior. Acompanhando a movimentação de outro ponto, Vittor mira Detwiller.

capela-rockfellerA cerimônia dura cerca de uma hora, conduzida em grande parte pelo diretor de Departamento de Letras, Charles Maxwell, responsável pelo pouco inspirado discurso de despedida.

Ao fim do encontro, Vittor tem a oportunidade de abordar Detwiller. O professor é bastante solícito, apesar do ar pedante que pontua todas suas respostas. O detetive não deixa de perceber, entretanto, que a disposição de seu interlocutor empalidece à medida que as perguntas deixam de ser vagas e buscam questões específicas: qual sua relação com Javier Webster? Quantas sessões de terapia ocorreram e quais foram os seus temas? Detwiller conhecia o outro aluno que se suicidou, William Conner?

Alegando compromissos inadiáveis, o professor deixa a capela. E toda sorte de mistério segue aguardando o momento de revelar-se.

Resumo de crônica que tem como referência os livros World of Darkness e Hunter: The Vigil, editados pela White Wolf.
Narrador: Carlos Hentges
Anastasio “Vittor” Vittorino: Leandro Zanchin
Jonathan Trager: Vinícius Lopes
Karl Krueger: Lucas Ramires

Anúncios

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. Alexandre said, on 02/02/2009 at 21:23

    Pra mim, jogar com caçador é o que há.

    Dê uma olhada na armadilha em que você caíu.
    http://www.rpgista.com.br/?p=579


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: